SIGA-NOS
Formulário de Contato
Blog

Blog

Secretaria Municipal de Saúde confirma primeira morte por sarampo em SP

Desde 1997 não havia óbito decorrente da doença

Publicado no dia: 28/08/2019
Secretaria Municipal de Saúde confirma primeira morte por sarampo em SP
A Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo anunciou hoje a primeira morte por sarampo no estado e na capital paulista. A vítima foi um homem de 42 anos sem registros de vacinação. A informação foi divulgada no SP1, da Globo, e confirmada pelo UOL. É a primeira morte por sarampo no estado São Paulo desde 1997.

De acordo com a secretaria, o homem foi admitido com suspeitas de sarampo e os sintomas se agravaram por doenças preexistentes. A vítima tinha uma imunodeficiência depois de ter passado por uma cirurgia para a retirada do baço. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Oliveira, afirmou que o homem tinha um "histórico de investigação de leucemia".

O óbito ocorreu no dia 17, mas foram necessários exames laboratoriais para confirmar a morte por sarampo. Ações de bloqueio foram feitas, segundo a secretaria, nas áreas em que a pessoa vivia. Mas o local de moradia e o hospital em que a vítima foi atendida não foram divulgados pela Secretaria de Saúde.

Apesar de a vítima estar fora do público-alvo da campanha de vacinação, com idades entre 15 e 29 anos, a Secretaria de Saúde diz que qualquer pessoa pode buscar a vacinação contra o sarampo. Na cidade, foram feitas mais de 7.000 ações de bloqueio, segundo o órgão -quando as pessoas da região em que o paciente infectado vive são vacinadas contra a doença.

Neste ano, até o momento, há 2.457 casos confirmados no estado de São Paulo, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Do total de casos, 66,6% se concentram na capital (1.637 pacientes).

A baixa cobertura vacinal contra sarampo, caxumba e rubéola nos últimos anos pode ser uma das razões do atual surto de sarampo no estado de São Paulo, cujos primeiros casos apareceram em março deste ano. O sorotipo circulante entre os paulistas é o D8, prevalente em países da Europa. Por isso, é mais provável que o vírus do sarampo tenha sido reintroduzido em São Paulo a partir de casos provenientes daqueles países e menos provável que esteja relacionado aos casos importados da Venezuela, que levaram a um surto nos estados de Amazonas e Roraima no ano passado.

Sarampo no Brasil

Em 2016, o Brasil recebeu o Certificado de Eliminação do Sarampo, emitido pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), mas perdeu o certificado em fevereiro deste ano, após surtos da doença, principalmente na região Norte, a partir de dezembro de 2017.

Vacinação

O sarampo pode ser evitado com a vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. Ela integra o PNI e é aplicada aos 12 meses, com reforço aos 15 meses com a tetraviral (sarampo, rubéola, caxumba e varicela). Até os 29 anos, a recomendação é tomar duas doses do imunizante. Entre 30 e 59 anos, a pessoa deve ser vacinada uma vez. Para quem não sabe se já tomou o número adequado de doses, a orientação é se imunizar.

Calendário de vacinação

Criança com 1 ano:
 deve tomar a 1ª dose regular (se tiver vacinado em bloqueio ou campanha deve observar intervalo de um mês);
Criança de 15 meses: deve tomar a 2ª dose regular;
Criança de 1 a 4 anos: atualizar a caderneta de vacinação;
População de 1 ano a 29 anos: deve ter tomado duas doses de vacina;
Adulto de 30 a 59 anos: deve ter tomado uma dose.

Fonte: UOL Saúde

Deixe o seu comentário

0Comentários

« Voltar